Curso de CAR em Macapá

Postagens Recentes

14 de abril de 2014

Jogos interativos digitais para o ensino do espaço geográfico e das representações espaciais

14 de abril de 2014 - 0 Comments



Saudações a todos os leitores do blog GeoLuisLopes. Neste post vamos discutir sobre a utilização de jogos interativos digitais no entendimento dos territórios, mais precisamente, das atividades de ensino do espaço geográfico. Para a elaboração do texto utilizaremos 3 exemplos de jogos interativos, evidenciando que existe uma vasta literatura disponível na internet para todos aqueles que se interessarem em aprofundar o conhecimento sobre o assunto, brevemente discutido neste texto. Boa leitura...

Os jogos sempre foram mecanismos eficazes para se ensinar, de forma lúdica, diversos assuntos em sala de aula, pois as atividades com caráter lúdico atraem a atenção dos educandos e se tornam ferramentas importantes para o ensino e para o entendimento do espaço geográfico (NEVES; NASCIMENTO & CARVALHO, 2013). 

O educador pode recorrer ao uso de diversas metodologias que envolvem jogos interativos para a dinamização de sua aula. Nesse caso, não necessariamente, os jogos devem ter ligação direta com o uso de computadores, mas devem ter relação com o assunto e a metodologia escolhida para facilitar o processo de ensino-aprendizagem.

O uso de jogos tradicionais, como o de “caça ao tesouro” ou “batalha naval”, são práticas metodológicas há muito tempo aplicadas pelos educadores em sala de aula para a explicação da localização e endereçamento dos objetos e fenômenos que se processam na superfície da Terra e, com o advento da informática, a forma lúdica de trabalhar com os jogos interativos no ensino de geografia pôde ser potencializada. Ou seja, com a utilização de jogos em ambiente computacional, o educador criou a possibilidade de motivar cada vez mais o alunado a manipular os jogos e com isso entender melhor as estratégias geográficas que podem ser relacionadas ao assunto discutido em sala. 

Na figura 1 vemos a tela principal do geo-jogo* “batalha naval”, antes praticada fora do computador, mais que agora pode ser agregada mais aplicativos, sons e ícones que podem servir na discussão sobre a rede geográfica de coordenadas, exemplo do que são os meridianos e paralelos e no estímulo do desenvolvimento da orientação dos alunos (rosa dos ventos, esquerda, direita, norte, sul, leste, oeste, nordeste, sudeste, etc).

Figura 1: Tela do jogo Batalha Naval on line. Fonte: http://migre.me/iM49l
A criação de outros “jogos de tabuleiro” tradicionais, como a batalha naval, que migraram e foram incorporados pela informática vem potencializando as explicações sobre espaço geográfico e seus atributos, nas aulas daqueles educadores que tem acesso e conhecimento sobre como inserir em seu cotidiano profissional o conhecimento sobre o conteúdo agregado com os benefícios do computador e da internet.

Como exemplo de jogos interativos que tem na estratégia geográfica seu principal foco temos os jogos conhecidos como RPG (sigla em inglês para Role-Playing Game – em português jogo de interpretação de personagens), que são jogos, com regras pré-definidas, onde os usuários devem manipular seus avatares (personagens) para ocuparem territórios (fictícios ou não) de outros jogadores, conviver com outros usuários, ou simplesmente coletar recursos para uma determinada “civilização” existente no jogo. É importante dizer que existem diversos jogos desse tipo, que podem ser trabalhados em formato impresso, ou estão a disposição na internet.

Um jogo interativo bastante conhecido e que demonstra a importância do conhecimento geográfico para o seu manuseio é o “WAR” (cuja tradução da lingua inglesa significa GUERRA), onde os jogadores disputam os territórios em um mapa-mundi, dividido em regiões (Europa, Ásia, África, América do Norte, América do Sul e Oceania). Neste jogo, disponivel em formato impresso e digital (on line), cada participante deve ocupar o território inimigo, utilizando-se para isso de seus exércitos, que atacam os exércitos inimigos. Na figura 2 vemos a tela principal deste jogo, onde os conhecimentos das estratégias geográficas podem definir o vencedor.


Figura 1: Tela do jogo WAR on line. Fonte: http://www.waronline.com.br/

Seguindo esta mesma tendência mostrada no jogo WAR, de jogos estratégicos de guerra, que trabalham as potencialidades dos povos e guerreiros, e que consideram as estratégias geográficas em um campo de batalha fictício, que possibilitam ao usuário a interação on line com outros usuários do mundo inteiro pela internet, podemos destacar o jogo chamado de Lord of Ultima (figura 3) onde o usuário deve administrar uma cidade que está em constante ataque de outras “civilizações”. A figura abaixo mostra visualização inicial deste jogo.


Figura 3: Tela do jogo Lord of Ultima on line. Fonte: http://www.lordofultima.com

Jogos desse tipo, apesar de trabalharem com realidades alternativas, fictícias, ao inseridas no ambiente escolar possibilitam ao educador estimular o conhecimento geográfico de seus alunos, de forma que vejam a importância da geografia no conhecimento do espaço geográfico para se alcançar um determinado objetivo, e vencer. 

Assim como o jogo WAR, existem outros jogos cuja a base cartográfica está apoiado no mapa-mundi convencional, que mostra os oceanos, continente e outras características da superfície terrestre. Nesse caso, o entendimento do espaço geográfico mundial pode ser explicado pela estratégia que o usuário imprime ao jogo, onde as características naturais e socioeconômicas de continentes e países podem ser trabalhadas conforme se observa na realidade.

Não se quer aqui transformar os jogos interativos como principal objeto de estudo em sala de aula, mas que estes jogos sirvam como ferramenta na intermediação do conhecimento, para assuntos diversos que possam estar nos livros didáticos, de forma a tornar mais dinâmica e atraente a aula de geografia, e para que a aula expositiva do “quadro-negro” passe a ser mais prazerosa. 

Assim, como todo jogo lúdico, que requer o uso da imaginação das pessoas, os detalhes que não são reais devem ser enfatizados e as características principais da superfície terrestre, como se apresentam na realidade, também devem ser apontadas e discutidas criticamente, mostrando aos alunos como a realidade pode ser entendida por meio de um jogo, aparentemente, sem vinculo com os assuntos abordados em sala. A partir disso, os alunos podem aprender que um jogo, nesse formato, com mapas, tem por objetivo “representar” uma realidade real ou fictícia, onde a estratégia geográfica é o diferencial.

A partir do uso desses jogos, os alunos podem aprender que um jogo nesse formato, com mapas, tem por objetivo “representar” uma realidade efetiva ou fictícia, onde a estratégia geográfica é o diferencial. Desse modo, nos dias atuais, é importante considerar o surgimento dessas ferramentas “interligadas mundialmente”, que se misturam ao conceito de internet. Também na internet estão amostras de metodologias e trabalhos que utilizam a cartografia digital e que podem ser replicados em outros lugares, por outros profissionais os quais podem ser adaptados à realidade docente e, dependendo do assunto, poderá trazer novos questionamentos para o debate em sala de aula.

Assim, é necessário enfatizar que existem diversas outras ferramentas e atividades direcionadas à otimização das práticas de ensino, não somente da geografia, mas de outras disciplinas escolares, que atraem cada vez mais os alunos a aprender praticando em ambiente computacional, saindo do ambiente “estático” oferecido pelos livros didáticos (SILVA, 2013).

Também devemos frisar que a elaboração ou aplicação de ferramentas como jogos digitais, assim como o uso de todos os outros tipos de metodologias de ensino, devem obedecer ao tipo do usuário ao qual vai ser disponibilizada; pois o aplicativo deve ser pensado segundo a uma hierarquia de usuários (novato, intermediário e avançado), que deverá ter restrições e permissões diferenciadas, para o caso de modificações, upload e donwload. Contudo, é importante reconhecer que os jogos interativos digitais, na atualidade, são importantes ferramentas de difusão de informações espaciais e tem grandes possibilidades de ser uma das principais ferramentas de divulgação das informações geográficas.

Com isso, espero ter contribuído com este breve entendimento sobre jogos interativos digitais para o ensino do espaço geográfico. Também desejo ter estimulado novos escritores a desenvolverem outros textos sobre esta temática para que, por ventura, tornemos os jogos digitais não apenas meros meios de entretenimento, mais também potenciais ferramentas de ensino e aprendizagem. Até a próxima...

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NEVES, S. C. O; NASCIMENTO, D. C. S. & CARVALHO, J. S. A cartografia associada ao jogo de tabuleiro como um importante recurso didático para o ensino de geografia. In: SILVA, C. N.; CAETANO, V. N. S; OLIVEIRA NETO, A. Ensino de geografia e representação do espaço geográfico. Belém: GAPTA/UFPA, 2013, p. 307-330.

TUPY, F. Videogames e geografia: um marco de intersecção nas paisagens reais, virtuais, lúdicas e de aprendizagem. In: 

SILVA, C. N.; CAETANO, V. N. S; OLIVEIRA NETO, A. Ensino de geografia e representação do espaço geográfico. Belém: GAPTA/UFPA, 2013, p. 33-46.

SILVA, C. N. A representação espacial e a linguagem cartográfica. Belém: GAPTA/UFPA, 2013.

_________________________
Nota:
* Para Tupy (2013) um Geo-jogo é todo jogo interativo que possibilita ao usuário desenvolver ainda mais seu conhecimento sobre geografia e do espaço geográfico.

31 de março de 2014

Curso em Salvador (BA) de Geo. de Imóveis Rurais com base na 3ª Ed da NTGIR e Manuais

31 de março de 2014 - 0 Comments



Chegou a grande oportunidade de capacitação aos profissionais de Salvador - BA. O treinamento será realizado nos dias 24 e 25 de maio. Garanta sua vaga!

Fonte da imagem: algosobre
A 3ª Edição da Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais instituíram mudanças significativas sobre conceitos e metodologias para o requerimento de certificação da poligonal, objeto de memorial descritivo referente a imóveis rurais.

Algumas mudanças na Norma:

1. Mudança na definição de imóvel rural a ser considerado pelo INCRA para efeitos de certificação da poligonal objeto do memorial descritivo:

O imóvel rural a ser considerado nos serviços de georreferenciamento é aquele objeto do título de domínio, bem como aquele passível de titulação. (NTGIR 3ª Edição).
2. Não obrigatoriedade da implantação de vértices Tipo M na maioria dos tipos de limites.

Em limites já consolidados, definidos por elementos físicos, fica a critério do credenciado e dos proprietários envolvidos a implantação do marco. Quando não há definição por elementos físicos é necessária a implantação de marcos, salvo nos casos contidos no item 4.2.2.3. (Manual Técnico de Limites e Confrontações Item 4.2.2.1).
3. Novo procedimento para o requerimento de certificação.

O requerimento de certificação da poligonal objeto de memorial descritivo de imóvel rural será processado por meio do Sistema de Gestão Fundiária – SIGEF.

O mercado é promissor e as disputas serão constantes, por isso é preciso buscar conhecimento e capacitação para atuar nessa área. Profissionais qualificados e capacitados serão diferenciais na hora da escolha.

O objetivo Graltec Treinamentos é transferir conhecimento, informando e capacitando profissionais da área em seu mercado de atuação.

CONTEÚDO
  • Breve Histórico da certificação.
  • Nova metodologia para certificação, descrevendo Norma Técnica e Manuais.
  • Responsabilidades da cada ente envolvido na certificação.
  • Principais mudanças desta nova metodologia.
  • Apresentação do SIGEF.
  • Como fazer o preenchimento do arquivo digital referente ao imóvel rural georreferenciado (planilha ods) a ser enviado ao SIGEF.
  • Utilizando o SIGEF. 
  • Ações do credenciado no SIGEF.
INSTRUTOR: Wenderson Ribeiro Barroso
  • Engenheiro agrimensor e Analista do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA-MG).
Há mais de 7 anos atuando na área de regularização fundiária, demarcação, georreferenciamento de imóveis rurais, parcelamento, fiscal de obras de medição e demarcação topográfica georreferenciadas e membro do comitê regional de certificação de peças técnicas de Georreferenciamento no INCRA-MG.

Acompanhou o desenvolvimento do SIGEF (Sistema de Gestão Fundiária), sistema por meio do qual o INCRA realiza a certificação digital dos imóveis rurais.

Local do treinamento

  • Hotel Bahia do Sol

Endereço: Av. Sete de Setembro, 2009 – Vitória
CEP: 40080-002.  Salvador/BA

Todas as informações estão disponíveis no site da Graltec Treinamentos, acesse: http://goo.gl/52hfdg

18 de março de 2014

Ebook em português: Desenvolvimento com o API do Google Maps

18 de março de 2014 - 0 Comments



Você sabe o que é API

API é o acrônimo de Application Programming Interface ou, em português, Interface de Programação de Aplicativos. Esta interface é o conjunto de padrões de programação que permite a construção de aplicativos (TECMUNDO)


Tentando aprender mais sobre o tema, encontrei o e-book "Desenvolvimento com o API do Google Maps" no site 'criaweb.com' . O melhor de tudo é que está em português! Os autores desta colaboração são Javier Chaure e Miguel Angel Alvarez. Parabéns por esta iniciativa!

 
O E-book está dividido em 23 capítulos. São eles:
 
  1. O básico para começar a desenvolver com Google Maps I
  2. O básico para começar a desenvolver com Google Maps II
  3. Mapas de Google API 2
  4. Tipos de mapa en Google Maps
  5. Controle para mudar o tipo de mapa de Google
  6. Controles em mapas de Google
  7. Incluir um mapa de tipo físico
  8. Inserir uma marca [sic] em um mapa de Google
  9. Eventos em mapas de Google
  10. Manejar um evento em um mapa de Google para reposicionar uma marca
  11. Mostrar a posição de uma marca de Google Maps em um formulário
  12. Averiguar o zoom em um mapa de Google Maps
  13. Evento zoom em um mapa de Google
  14. Construir uma página com um mapa de Google, usando CSS
  15. Desenhar linhas em mapas de Google
  16. Polígonos com linhas geodésicas em mapas de Google
  17. Polígonos em mapas de Google
  18. Eventos e polígonos em Google Maps
  19. Sobrepor uma imagem em um mapa de Google
  20. Incluir as fotos de Panoramio em um mapa de Google
  21. Incluir referências à Wikipedia em mapas de Google
  22. Colorir países em mapas de Google
  23. Adicionar um Mapa do Google à sua web em 5 minutos
 Aproveitem o e-book e bons estudos!

 
 

11 de março de 2014

Curso em Macapá-AP de Geo. de Imóveis Rurais com base na 3ª Ed da NTGIR e Manuais

11 de março de 2014 - 0 Comments



Chegou a grande oportunidade de capacitação aos profissionais de Macapá - AP. O treinamento será realizado nos dias 10 e 11 de maio. Garanta sua vaga!


A 3ª Edição da Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais instituíram mudanças significativas sobre conceitos e metodologias para o requerimento de certificação da poligonal, objeto de memorial descritivo referente a imóveis rurais.

Algumas mudanças na Norma:

1. Mudança na definição de imóvel rural a ser considerado pelo INCRA para efeitos de certificação da poligonal objeto do memorial descritivo:

O imóvel rural a ser considerado nos serviços de georreferenciamento é aquele objeto do título de domínio, bem como aquele passível de titulação. (NTGIR 3ª Edição).

2. Não obrigatoriedade da implantação de vértices Tipo M na maioria dos tipos de limites.

Em limites já consolidados, definidos por elementos físicos, fica a critério do credenciado e dos proprietários envolvidos a implantação do marco. Quando não há definição por elementos físicos é necessária a implantação de marcos, salvo nos casos contidos no item 4.2.2.3. (Manual Técnico de Limites e Confrontações Item 4.2.2.1).

3. Novo procedimento para o requerimento de certificação.

O requerimento de certificação da poligonal objeto de memorial descritivo de imóvel rural será processado por meio do Sistema de Gestão Fundiária – SIGEF.

O mercado é promissor e as disputas serão constantes, por isso é preciso buscar conhecimento e capacitação para atuar nessa área. Profissionais qualificados e capacitados serão diferenciais na hora da escolha.

O objetivo Graltec Treinamentos é transferir conhecimento, informando e capacitando profissionais da área em seu mercado de atuação.

CONTEÚDO
  • Breve Histórico da certificação.
  • Nova metodologia para certificação, descrevendo Norma Técnica e Manuais.
  • Responsabilidades da cada ente envolvido na certificação.
  • Principais mudanças desta nova metodologia.
  • Apresentação do SIGEF.
  • Como fazer o preenchimento do arquivo digital referente ao imóvel rural georreferenciado (planilha ods) a ser enviado ao SIGEF.
  • Utilizando o SIGEF. 
  • Ações do credenciado no SIGEF.
INSTRUTOR: Wenderson Ribeiro Barroso
  • Engenheiro agrimensor e Analista do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA-MG).
Há mais de 7 anos atuando na área de regularização fundiária, demarcação, georreferenciamento de imóveis rurais, parcelamento, fiscal de obras de medição e demarcação topográfica georreferenciadas e membro do comitê regional de certificação de peças técnicas de Georreferenciamento no INCRA-MG.

Acompanhou o desenvolvimento do SIGEF (Sistema de Gestão Fundiária), sistema por meio do qual o INCRA realiza a certificação digital dos imóveis rurais.

Local do treinamento

  • Faculdade Estácio/SEAMA

Endereço: Avenida José Anchieta, 1223, Jesus de Nazaré
Macapá – Amapá – CEP: 68908-126

Todas as informações estão disponíveis no site da Graltec Treinamentos, acesse: http://goo.gl/52hfdg

10 de março de 2014

Petição para tornar aberta e gratuita a base de dados de CEPs do Brasil

10 de março de 2014 - 0 Comments



O que acha de pagar R$2.500,00 para ter a base de CEPs do Brasil (mas os Correios não seria uma Instituição Pública)? E não é só isto: renove esta base por R$2.100,00/ano (¬¬')! Está a venda na loja virtual dos Correiros

Fonte: Blog dos Correios

Fiquei sabendo, através do perfil @mapaslivres, no twitter,  da petição para Tornar aberta e gratuita a base de dados de CEPs do Brasil.

Na própria página da petição há uma descrição do objeto:

Esta petição tem por objetivo tornar gratuito o download da base de dados de CEPs do Brasil.

Os Correios cobram R$2.500,00 por esta base de dados com validade de apenas um ano. Para renovar é necessário pagar R$2.100,00 por ano.

Não é justo que uma informação pública seja vendida por uma empresa pública aos brasileiros caracterizando inclusive um monopólio pois só se pode comprar deles.

A base de CEPs do Brasil deveria ser uma informação aberta, gratuita e de fácil acesso a todos, especialmente desenvolvedores de sistemas.
Deixo disponível o link desta petição para os leitores. Para assinar, basta inserir o e-mail e preencher os dados solicitados. Rápido e fácil.

O que você acha do assunto? Opine!

   

8 de março de 2014

Prêmio TopBlog 2014: geoLuisLopes está no segundo turno. Vote!

8 de março de 2014 - 0 Comments



Como devem ter percebido, há um selo Top100 acima das postagens, do prêmio TopBlog. Selo conquistado em 2013 devido a uma votação popular, na qual o blog estava concorrendo na categoria "Tecnologia e Internet". Nesta ocasião, ficamos entre os 100 melhores blogs do Brasil nesta categoria! 


Agradeço a todos que nos ajudaram a passar para esta fase. Muito obrigado!

“(...) Top Blog Prêmio é um sistema destinado a reconhecer e premiar, mediante a votação popular e acadêmica os Blogs Brasileiros mais populares (...)” - topblog.com.br

Se você gosta das postagens deste blog, ajudem-nos votando. É fácil! Você pode votar com seu perfil do Facebook e também com seus e-mails (precisa confirmar o voto).


Este é o 4º ano consecutivo (em 5 anos de atividade) que conseguimos este feito, através de nossos leitores. Agora é o segundo turno, rumo aos Top3.

A importância destas votações é saber se o blog corresponde as expectivas dos leitores e, claro, como uma forma de reconhecimento. Uma espécie de feedback! Conto com seu voto!

5 de março de 2014

Curso em Belém-PA de Geo. de Imóveis Rurais com base na 3ª Ed da NTGIR e Manuais

5 de março de 2014 - 0 Comments



Chegou a grande oportunidade de capacitação aos profissionais de Belém - PA. O treinamento será realizado nos dias 26 e 27 de abril. Garanta sua vaga!

A 3ª Edição da Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais publicada pelo INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) juntamente com os Manuais Técnicos de Limites e Confrontações e Manual Técnico de Posicionamento, instituíram mudanças significativas sobre conceitos e metodologias para o requerimento de certificação da poligonal, objeto de memorial descritivo referente a imóveis rurais.

O mercado é promissor e as disputas serão constantes, por isso é preciso buscar conhecimento e capacitação para atuar nessa área. Profissionais qualificados e capacitados serão diferenciais na hora da escolha.

O objetivo Graltec Treinamentos é transferir conhecimento, informando e capacitando profissionais da área em seu mercado de atuação.

CONTEÚDO
  • Breve Histórico da certificação.
  • Nova metodologia para certificação, descrevendo Norma Técnica e Manuais.
  • Responsabilidades da cada ente envolvido na certificação.
  • Principais mudanças desta nova metodologia.
  • Apresentação do SIGEF.
  • Como fazer o preenchimento do arquivo digital referente ao imóvel rural georreferenciado (planilha ods) a ser enviado ao SIGEF.
  • Utilizando o SIGEF. 
  • Ações do credenciado no SIGEF.
INSTRUTOR: Wenderson Ribeiro Barroso
  • Engenheiro agrimensor e Analista do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA-MG).
Há mais de 7 anos atuando na área de regularização fundiária, demarcação, georreferenciamento de imóveis rurais, parcelamento, fiscal de obras de medição e demarcação topográfica georreferenciadas e membro do comitê regional de certificação de peças técnicas de Georreferenciamento no INCRA-MG.

Acompanhou o desenvolvimento do SIGEF (Sistema de Gestão Fundiária), sistema por meio do qual o INCRA realiza a certificação digital dos imóveis rurais.

Local do treinamento

Belém Soft Hotel

Endereço: Av. Braz de Aguiar, 612, Nazaré
Belém – Pará – CEP: 66.035-000

Todas as informações estão disponíveis no site da Graltec Treinamentos, acesse: http://goo.gl/Fulu4I

4 de março de 2014

Proposta de infraestrutura para SIG aplicado ao setor florestal em software livre

4 de março de 2014 - 0 Comments




Olá pessoal,

Compartilho com todos o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Thiara Cargnin Marques intitulado "Proposta de infraestrutura para um Sistema de Informações Geográficas (SIG) aplicado ao setor florestal baseado em software livre", de 2010.

Fonte: ideaubage

Neste trabalho, é abordado:

  • Setor florestal (desde o planejamento, silvicultura, abastecimento e a comercialização de madeira);
  • Software para uso no desenvolvimento de um SIG florestal (gvSIG, i3geo e PstgreSQL/PostGIS); e 
  • Análises espaciais em uma empresa florestal.


Resumo do TCC

Sistemas de Informações Geográficas (SIG) estão entre as principais ferramentas quando se trata de empresas do setor florestal. O uso de SIG proporciona mecanismos mais eficazes nas estratégias de gerenciamento das empresas, facilitando o planejamento e a implementação de atividades diversas, além de ser útil na elaboração de levantamentos florestais e na adoção de manejos mais adequados à realidade do campo. 

O objetivo desse trabalho é analisar e aplicar tecnologias de bancos de dados e Sistemas de Informações Geográficas (SIG) para prover suporte na coleta, análise, modelagem, otimização, armazenamento e recuperação de dados, incluindo dados georreferenciados, para o setor florestal. 

Inicialmente, pesquisaram-se os conceitos básicos de gestão e desenvolvimento de bases de dados relacionais que, no caso de um SIG, recomenda-se seguir três passos: 

  1. Planejamento da base de dados com um alto nível de abstração;
  2. Desenho da base de dados com um nível mais detalhado de abstração;
  3. Implementação da base de dados em um sistema computacional. 
Além desses três, adiciona-se um quarto passo, que aborda o acesso, a visualização e a distribuição dos dados georreferenciados. 

Na sequência, definiram-se as necessidades relacionadas a dados geoprocessados em empresas da área florestal de pequeno e médio porte para, em seguida, elaborar um modelo genérico para armazenamento de dados florestais. 

Em uma segunda etapa, foram discutidos os mecanismos de alimentação do banco de dados, ou seja, como os usuários vão inserir dados no sistema. De acordo com os tipos de dados disponíveis, nesta etapa foi necessário analisar e escolher um conjunto de softwares livres, que podem ser usados no desenvolviemto de atividades em empresas do setor florestal.

A terceira etapa apresentou um estudo de caso para avaliar os softwares escolhidos e demonstrar seu uso. A visualização dos dados através de mapas temáticos é o principal objetivo que foi atingido nesta etapa. 

Assim, o presente trabalho demonstra que a adoção dos softwares livres propostos pode ser útil no desenvolvimento das atividades de geoprocessamento em uma empresa do setor florestal e o total de investimento necessário para implantar um SIG é reduzido significamente.

O download completo do TCC está disponível no Portal de Revistas Uniplac: http://goo.gl/RETIS9

Boa leitura e até a próxima...

Obs.: dica compartilhada do perfil no twitter de Alvaro Anguix

3 de março de 2014

Produtos ESRI disponíveis gratuitamente para plataforma Linux

3 de março de 2014 - 0 Comments



Olá pessoal,

Há algum tempo migrei para plataforma Linux, mais precisamente para distribuição Ubuntu (e não me arrependo!) e adotei o QGIS como software de geoprocessamento para uso em ambiente corporativo e pessoal.

Quando fala-se em Linux em geoprocessamento, muitos, em primeiro momento, logo pensam que é impossível trabalhar com produtos Esri. Enganam-se!

Vale lembrar que há o excelente blog de Esdras Andrade especializado em geoprocessamento para Linux. Acesse http://geoparalinux.wordpress.com/

No próprio site da Esri há disponíveis alguns softwares e extensões para Linux, assim como para o Windows, Mac, Solaris, Android, etc.
Tux retirado do site 'chevitarese' e adaptado.


Nesta lista de opções para Linux, podemos destacar:

  • ArcGIS ArcExplorer - versões 9.2, 9.3 e 9.3.1
O ArcGIS Explorer é um visualizador grátis e fácil de utilizar, que lhe permite explorar, visualizar e compartilhar informação geográfica. A grande vantagem do ArcGIS Explorer reside na disponibilização de dados oficiais a um vasto público. Com o ArcGIS Explorer pode:

  1. Aceder a basemaps e layers do ArcGIS Online prontos a utilizar.
  2. Fundir os seus dados com serviços de mapas pela Internet, para criar mapas personalizados.
  3. Adicionar fotografias, comentários, vídeos e outras informações aos seus mapas.
  4. Realizar análises espaciais (por exemplo, visibilidade, modelagem e pesquisa de proximidades)
  • ArcReader - versões 9.3.1, 10 e 10.1
O ArcReader é um visualizador grátis e fácil de utilizar, que permite a qualquer pessoa ver, explorar e imprimir mapas e globos. Qualquer pessoa pode ver mapas interativos de alta qualidade, criados por um conjunto de produtos do sistema ArcGIS for Desktop e publicados através da extensão ArcGIS Publisher. Com o ArcReader pode:

  1. Ver, navegar e imprimir mapas publicados pelo ArcGIS (ficheiros PMF).
  2. Distribuir os seus dados a utilizadores pouco experientes
  3. Fazer zoom, pan e alternar entre mapas e layout views.
  4. Comunicar de forma mais eficiente, georreferenciando os fenômenos no mapa.
  5. Permite inquirir os seus dados.
  6. Imprimir mapas e globos publicados, incluindo toda a simbologia das layers e elementos cartográficos.
  7. Criar aplicações personalizadas para o ArcReader e utilizá-la em aplicações já existentes.
  • File Geodatabase API - versões 1.2 e 1.3
Esta API permite que programadores trabalhem com o formato File Geodatabase fora dos ArcObjects (a biblioteca de componentes de software que constituem a base do ArcGIS). Com esta API programadores passam a poder criar aplicações independentes para ver ou modificar dados armazenados no formato File Geodatabase sem recorrer a ArcObjects. Esta API permite:

  1. Criar novas bases de dados geográficas
  2. Ler todo o esquema de uma base de dados
  3. Criar diferentes esquemas para features do tipo simples
  4. Ler, editar e remover dados contidos na base de dados
  5. Executar queries por atributos e queries espaciais
Esta File Geodatabase API não substitui os ArcObjects como ferramenta recomendada na interação com bases de dados geográficas.

Para ter acesso a toda lista de produtos Esri, acesse: http://www.esri.com/apps/products/download/. Será necessário criar uma "conta global Esri" (gratuita), preenchendo alguns dados.

Gostaram da dica? Deixe seu comentário!!!

Até a próxima...

Bibliografia consultada

Blog Esri Portugal http://www.esriportugal.pt/blog/


28 de fevereiro de 2014

Livro | A representação espacial e a linguagem cartográfica

28 de fevereiro de 2014 - 0 Comments




Olá pessoal,

Este livro é dos produtos disponíveis na Loja geoLuisLopes. É uma contribuição, composta de artigos publicados em períodos diferentes em revistas, eventos, livros, blogs ou somente discutidos em salas de aula, que buscam sintetizar temas ligados à Cartografia.

O objetivo é oferecer ao leitor, graduando ou graduado, um panorama geral sobre a temática tratada em cada texto, contribuindo para trabalhos futuros (TCC, monografias, dissertações etc.) ou nas atividades de profissionais que desejam se atualizar em assuntos relacionados à Ciência Cartográfica e às ferramentas de Geoinformação.

O livro custa apenas R$ 25,00 + frete. Clique aqui e adquira o seu. Entregamos em todo o Brasil.
Capa do livro
Sumário

PRIVACIDADE

Loja geoLuisLopes tem o compromisso com a privacidade e a segurança de seus clientes durante todo o processo de navegação e compra pelo site.

Os dados cadastrais dos clientes não são vendidos, trocados ou divulgados para terceiros, exceto quando essas informações são necessárias para o processo de entrega, para cobrança, ou para participação em promoções solicitadas pelos clientes.

Durante todo este processo mantemos suas informações em sigilo absoluto.

FORMAS DE PAGAMENTO

Loja geoLuisLopes está totalmente integrada ao PagSeguro e BCash. Seus dados financeiros estão protegidos! 

As opções de pagamento são:
  • Cartões de crédito: parcelamento em até 6 vezes; 
  • Boleto bancário: imprima e pague no banco mais próximo, ou digite o código de barras em seu internet banking.

FORMAS DE ENVIO
 
Entregamos em todo o Brasil através dos Correios. São duas as formas de envio:
  • SEDEX (entrega entre 01 e 05 dias úteis após postagem); 
  • PAC/Encomenda Normal (entrega entre 03 e 11 dias úteis após postagem).

Escolha a opção de sua preferência durante o fechamento de seu pedido. Ao informar o CEP de destino, o sistema efetuará o cálculo do frete, que é baseado no CEP e nos produtos existentes em seu Carrinho de Compras.
Rastreamento de Pedido:
Você poderá rastrear suas compras assim que efetuarmos a postagem de seu pedido, onde o Nº de Rastreamento será enviado em seu e-mail.
Boa leitura e boas compras!

20 de fevereiro de 2014

106 obras geográficas disponíveis para download

20 de fevereiro de 2014 - 0 Comments



Olhando o facebook, como uma rotina cotidiana, deparei-me com esta maravilhosa postagem:

"106 obras inéditas organizadas por um amigo muito bacana do Arquivo Kronos (que não falaremos o nome para evitar aderência). Deleitem-se!"

Aproveitem, pois não sei até quando ficarão disponíveis. Links para download:

Fonte: Arquivo Kronos
As obras disponíveis são:

AB`SÁBER, Aziz. Os Domínios de Natureza no Brasil
ACSELRAD, H. Cartografias sociais e território
ALMEIDA & ARRAES. É Geografia É Paul Claval
ANDRADE, M.C. A Terra e o Homem no Nordeste
ANDRADE, Manuel Correia de_A. Questão do território no Brasil
ARANTES, O.; MARICATO, E.; VAINER, C. A cidade do pensamento único
AYOADE, J.O. Introdução a climatologia para os trópicos
BITOUN, J. & MIRANDA, L. - Desenvolvimento e Cidades no Brasil
CAPEL, Horácio & URTEAGA, Luis - Las Nuevas Geografias
CAPEL, Horácio - Geografia Humana y Ciencias Sociales
CARLOS, Ana Fani - Espaço Urbano
CARLOS, Ana Fani - O lugar no do mundo
CASTEL, R.; DONZELOT, J.; FOUCAULT, M. et al. Espacios de Poder
CASTELLS, Manuel - A Sociedade em Rede
CASTRO, I. E. - Geografia e Política
CASTRO, I.E.; GOMES, P.C.C.; CORREA, R.L. Geografia, Conceitos e Temas
CASTRO, Josué de - Geografia da Fome
CLAVAL, Paul - A geografia cultural
CORRÊA, Roberto Lobato - Região e organização espacial
CORRÊA, Roberto Lobato O espaço Urbano
COSGROVE, Denis. Geography and vision - seeing, imagining and representing the world
COSTA, Wanderley Messias- Geografia Política e Geopolítica
DAVIS, Mike -Planet-of-Slums
GEORGE, Pierre - Panorama do mundo atual
GODOY, P.R.T. Historia_do_pensamento_geografico e epistemologia em Geografia
GOTTMAN, Jean - The Significance of territory
HAESBAERT, Rogério_A nova des ordem mundial
HARVEY, David - A Brief History of Neoliberalism
HARVEY, David - A produção Capitalista do Espaço
HARVEY, David - Cosmopolitanism and the Geographies of Freedom
HARVEY, David - Justice, Nature & the Geography of difference
HARVEY, David - La-condicion-de-la-posmodernidad
HARVEY, David - Megacities Lecture 4.
HARVEY, David - Paris, capital of modernity
HARVEY, David - Rebel cities
HARVEY, David - Social Justice and the City
HARVEY, David - Spaces of Capital
HARVEY, David - The Condition of Postmodernity
HARVEY, David - The Enigma of Capital
HARVEY, David - The limits to capital.
HARVEY, David - The New Imperialism
HARVEY, David Ciudades rebeldes
HARVEY, David. Breve historia del Neoliberalismo
HARVEY, David. O enigma do capital
HUMBOLDT, A. Cosmos
JOLY, F. - A cartografia
LACOSTE, Yves - A Geografia, Isso Serve, em Primeiro Lugar, Para Fazer a Guerra
LACOSTE, Yves Geografia do subdesenvolvimento
LEFEBVRE, Henri - A Produção do Espaço
LEFEBVRE, Henri - Contra los tecnocratas
LEFEBVRE, Henri - De lo Rural a lo Urbano
LEFEBVRE, Henri - El Marxismo
LEFEBVRE, Henri - El Materialismo Dialéctico
LEFEBVRE, Henri - La presencia y la ausencia - Contribucion a la teoria de las representaciones
LEFEBVRE, Henri - La significación de La Comuna
LEFEBVRE, Henri - Logica Formal Logica Dialectica
LEFEBVRE, Henri - Lógica Formal, Lógica Dialética
LEFEBVRE, Henri - Más allá del estructuralismo
LEFEBVRE, Henri - O direito a cidade
LEFEBVRE, Henri - Sociología de Marx
LEFEBVRE, Henri - The Production of Space
LEFEBVRE, Henri - The survival of capitalismo
LEFEBVRE, Henri - Writings on Cities
MASSEY, Doreen - For Space
MASSEY, Doreen - Pelo espaço
MASSEY, Doreen - Space, place and gender
MENDEZ, Ricardo - Geografía Económica
MORAES, A.C.R. - Gênese da Geografia Moderna
MORAES, A.C.R. Geografia_Pequena_historia_critica
MORAES, Antonio Carlos Robert & COSTA, Wanderley Messias - Geografia crítica -a valorização do espaço
MOREIRA, Ruy - Geografia Teoria e Crítica
OAKES, T.S.; PRICE P. L. The Cultural Geography Reader
OLIVEIRA, A.U. - Modo de Producao Capitalista, Agricultura e Reforma Agraria
PEDON, N.R. Geografia_e_movimentos_sociais
RAFFESTIN, Claude - Por uma Geografia do Poder
RATZEL, F. - Coleção Grandes Cientistas Sociais
RECLUS, Élisée - Coleção Grandes Cientistas Sociais
RECLUS, Élisée - Estados Unidos do Brasil
RICHTER, D. O Mapa Mental no Ensino de Geografia
RODRIGUES, Arlete Moyses - Problematica ambiental urbana
SANTOS, Milton & BECKER, Bertha K. (org) - Território, territórios - ensaios sobre o ordenamento territorial
SANTOS, Milton & SILVEIRA, Maria Laura - O Brasil
SANTOS, Milton - A Natureza do Espaço
SANTOS, Milton - Economia Espacial_Críticas e Alternativas
SANTOS, Milton - Metamorfoses do Espaco Habitado
SANTOS, Milton - O País Distorcido
SANTOS, Milton - Por uma outra Globalização
SANTOS, Milton - Técnica Espaço Tempo
SANTOS, Milton -Território Globalização e Fragentação
SANTOS, Milton- A cidade como centro da região
SERPA, A. Espaços Culturais
SILVA, C.A; RIBEIRO, A.C.T; CAMPOS, A. Cartografia da acao e movimentos da sociedade
SMITH, Neil. Desenvolvimento Desigual
SMITH, Neil. The new urban frontier - gentrification and the revanchist. Routledge
SOJA, Edward. Postmetropolis
SOJA, Edward. Thirdsapce
SPOSITO, M.E. Capitalismo e urbanização
TUAN, Yi-fu. Topofilia
VESENTINI, J. W. Ensaios de Geografia Crítica
VESENTINI, J.W. Geografia, natureza e sociedade
VIRILIO, Paul. O espaço Critico
VIRILIO, Paul. Velocidade e Política


Ótimo, não acha? Até a próxima!

19 de fevereiro de 2014

Converta seu PDF para arquivos CAD com Able2Extract

19 de fevereiro de 2014 - 0 Comments



Desenhos CAD são cada vez mais compartilhada através do formato PDF. Isto é, principalmente, devido ao fato de o formato PDF ser de plataforma independente e não requer o aplicativo nativo para visualizar o documento.

Enquanto o formato PDF é ideal para compartilhar, o principal problema com o formato PDF é que ele não é útil se o usuário gostaria de editar ou fazer alterações para o arquivo em si. 

A solução é convertê-lo novamente em um formato CAD usando um conversor de PDF com o Able2Extract. A Investintech.com compreende a necessidade de interoperabilidade entre os dois formatos PDF e do AutoCAD. 

Interface do Able2Extract

Able2Extract PDF Converter é uma solução de software PDF muito completo com muitas opções de conversão. Alguns dos benefícios para os usuários do AutoCAD são: 

  • A capacidade de converter PDF para DWG e DXF para edição fácil em programas de CAD;
  • Texto e desenhos vetoriais bloqueados em PDFs com apenas alguns cliques;
  • Exibir, mesmo os dados 2D mais complexas, usando um visualizador avançado;
  • Preview do conteúdo a ser selecionado e convertido;
  • Converter desenhos diretamente em camadas;
  • Funciona em várias plataformas: Windows , Mac OS e Linux.

Compatível em Windows, Mac OS e Linux.

Output a várias camadas e trabalhe de forma eficiente com elementos CAD complexos. Able2Extract converte o seu desenho diretamente em camadas que você pode trabalhar com imediatamente após a conversão. Os usuários podem acessar facilmente padrões de texto, polilinhas e da camada de AutoCAD padrão.

Output a várias camadas
Há versão para testes. Vale a pena o download. Mais informações e vídeos de apresentação estão disponíveis aqui: http://goo.gl/JUljVZ

Gostaram da dica? Deixe seu comentário!

Newsletters

Receba nossas atualizações em seu e-mail.

© 2013 Geotecnologias Luís Lopes. All rights reserved.
Designed by SpicyTricks