Últimas Postagens

Organização do 1º curso de SIMLAM (CAR) em Belém do Pará

Estamos organizando o nosso 1º curso de SIMLAM na capital paraense: Belém. Esta é mais uma iniciativa do cursosgeoluislopes.com. O SIMLAM é Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental do Estado do Pará. É o sistema na qual é realizado o CAR (cadastro Ambiental Rural) como política estadual de florestas e meio ambiente.


Devido a grande procura, após anunciado em nossa fanpage do facebook, colocamos disponível um formulário de interesse. É imprescindível o preenchimento para mantermos organização e contato. Atenção: serão disponibilizados apenas 25 vagas.


O curso está planejado com carga horária de 16 horas (sábado e domingo, manhã e tarde). O público alvo são engenheiros ou profissionais com registro no CREA que desejam ou já efetuam o CAR no Pará. O conteúdo programático está dividido da seguinte forma:

1º dia (sábado)

- Introdução ao CAR-SIMLAM-PA (Cadastro Ambiental Rural-Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental do Estado Pará);
- Requisitos para credenciamento profissional ao SIMLAM;
- Documentos/informações necessárias a inscrição do imóvel ao CAR/PA;
- Conhecendo a interface do SIMLAM Técnico;
- Obtendo arquivo modelo;

2º dia (domingo)

- Construção/elaboração dos vetores;
- Cadastro Pessoa;
- Cadastro Propriedade;
- Envio do Arquivo Modelo “vetores do imóvel rural”.
- Exemplo prático;
- Tópicos levantados pela turma.


Instrutor
 
O instrutor será Gilson Moreira: Eng Agrônomo, Esp. em Licenciamento Ambiental e Georreferenciamento de Imóveis Rurais. Profissional credenciado pela SEMA/PA para efetuar o CAR (com larga experiência).

Investimento

O investimento proposto é R$ 600,00. Desconto de 6,61% para pagamentos à vista ou parcelamento em até 6x SEM JUROS. Estudantes terão desconto de 20%, além dos benefícios supracitados. Tudo será intermediado através do PagSeguro em nosso site de cursos: www.cursosgeoluislopes.com

Caso queira mais esclarecimentos sobre o curso, entre em contato: cursos@geoluislopes.com. Estou a disposição.

Livro gratuito | Sistemas de Información Geográfica: Técnicas básicas para estudios de biodiversidad

Disponível para download o livro "Sistemas de Información Geográfica: Técnicas básicas para estudios de biodiversidad", que, escrito no idioma (espanhol), é de fácil compreensão.

O livro faz uma abordagem geral sobre Sistema de Informação Geográfica, enfatizando conceitos como vetor, raster, cartografia digital, sistemas de projeções, etc.

Capa do livro
O livro é de autoria de Pablo Sastres Olmos, do Instituto Geológico e Mineração da Espanha. A publicação está disponível neste endereço, clique aqui

Boa leitura a todos!

Curso de QGIS em Petrolina - PE

Nos dias 22 e 23 de novembro de 2014 estarei em Petrolina - PE ministrando curso básico de QGIS.

O QGIS é um Sistema de Informação Geográfica (SIG) de Código Aberto licenciado segundo a Licença Pública Geral GNU. Funciona em Linux, Unix, Mac OSX, Windows e Android e suporta inúmeros formatos de vetores, rasters e bases de dados e funcionalidades.

O QGIS disponibiliza um número de funcionalidades em constante crescimento através das funções de base e de plugins (complementos). Você pode visualizar, gerir, editar, analisar dados, e criar mapas para impressão.
"O curso destina-se a profissionais e estudantes de nível superior, técnico ou ensino médio que atuam em áreas que utilizem dados geográficos em SIG e/ou pessoas que queiram iniciar no mundo do geoprocessamento."
Curso em Petrolina - PE
Está aberta as inscrições para curso de QGIS em Petrolina - PE. As vagas são LIMITADAS, então garanta já a sua!

Data: 22 e 23 de novembro de 2014

Local: SBS Livraria Internacional
Avenida da Integração, 1214

Investimento: R$ 350,00 (profissionais) e R$ 280,00 (estudantes) no PagSeguro
 
Parcele em até 6x sem juros. Para pagamentos à vista, oferecemos desconto de 6,61% 
 
Carga horária: 16h (sábado e domingo). Leve seu notebook



O certificado do curso será entregue ao final do evento. Nosso curso enquadra-se como "formação inicial e continuada ou qualificação profissional" (Lei 9.394/96), comumente chamado como "curso livre". Certificado emitidos de cursos livres tem validade legal! 

O curso recebe o apoio do IF Sertão Pernambucano (Campus Petrolina Zona Rural).


Gostaria deste curso em sua cidade? Podemos formar parceria! Entre em contato e saiba como ganhar um dinheiro extra levando o curso de QGIS para sua cidade!

GeoLuisLopes Treinamento promoveu curso de QGIS em Belém (PA)

Nos dias 30 e 31 de agosto de 2014, ocorreu em Belém do Pará o curso de QGIS (módulo básico). O curso foi promovido pela GeoLuisLopes Treinamento e instrutor Luís Lopes. 


Foram abordados os seguintes tópicos:

- Apresentação do QGIS
- Interface do Software
- Inicialização de Projetos no QGIS
- Ferramentas de Seleção
- Consultas por Atributo
- Simbologia e Rotulação
- Favoritos Geoespaciais
- Elaboração de Mapas Temáticos
- Manipulação da Tabela de Atributos
- Edição de Atributos
- Medição de Áreas e Distâncias
- União de Tabelas
- Gerar camada a partir de Coordenadas
- Extração de Coordenadas
- Operações Espaciais
- Integração com Base de Dados Espacial
- Geração de Mapas para Impressão (Layout)
- Tópicos levantados pela turma

A turma foi composta de estudantes e profissionais já familiarizados com a área e profissionais interessados em aprender uma nova e poderosa ferramenta. Veja as fotos do curso em Belém

Abaixo, alguns depoimentos:
"Curso excelente, principalmente pra quem ainda não tem afinidade com SIG, pois aborda tudo de forma muito clara e pratica. Fique muito satisfeita."
"O curso foi bastante interessante, de fácil assimilação."
"Agradeço a oportunidade de poder aprender mais para o meu crescimento profissional (...)"
Confira nossa agenda de cursos de QGIS, abaixo. Inscreva-se, clique aqui:

2014

08 e 09 de novembro - Lavras (MG)

22 e 23 de novembro - Petrolina (PE)

2015

24 e 25 de janeiro - Luanda (Angola)

Contamos com cursos na modalidade "In Company", acesse: www.cursosgeoluislopes.com

Integrar o Google Maps para visualizar o terreno em 3D no QGIS

A visualização em 3D do terreno facilita a identificação da região de interesse e melhora muito a compreensão da região estudada. Para isto, o QGIS oferece o complemento Qgis2threejs. Em outras postagens aqui mesmo no blog, aprendemos a como gerar este tipo de visualização em outros softwares, e, por sinal, faz bastante sucesso entre os usuários. Veja:

     1. Sobrepor imagem ou shapefile sobre um TIN, ArcScene.
     2. Mapeamento em 3D do terreno em um navegador de internet.

Para visualizar o terrenos em 3D, precisaremos instalar o complemento Qgis2threejs. Você poderá utilizar arquivos de pontos, linhas ou polígonos para representar objetos em 3D, por exemplo edificações ou árvores utilizando arquivos shapefile com feições em polígonos e pontos, respectivamente.

Neste tutorial, utilizaremos 2 dados: SRTM (raster), com os dados de elevação, e o Open Layers plugin, com as imagens do Google Maps ou OSM.
Já mostramos em outra postagem como instalar o complemento Open Layers Plugin, veja: http://goo.gl/EutPdP
O Qgis2threejs, está disponível no Repositório Oficial do QGIS. Para isto siga o menu Complementos > Gerenciar e Instalar Complementos... e digite qgis2threejs (a medida que for digitando a janela de diálogo ira filtrando), como mostra a figura 1, e clique em "Instalar complemento". 

Figura 1. Instalar o complemento Qgis2threejs

Visualização em 3D com Qgis2threejs       

Como complemento devidamente instalado, vamos preparar os dados. Carregue o raster SRTM e, em seguida, o Google Maps (satellite) através do Open Layers plugin. Aproxime para região de interesse.

Clique no botão do Qgis2threejs, representado por este ícone: . Aparecerá a janela de configuração do complemento. Vamos ver como proceder para estes 2 dados (Figura 2).

1. Em "World" é importante notar o exagero vertical, que neste caso tem como padrão o valor "1.5". Isto pode ser modificado, mas fique atento a estética e a falsa representação da realidade.
2. Em "DEM", iremos utilizar a camada SRTM, que contem os valores de elevação.
3. Em "Resampling" poderás alterar a resolução de visualização
4. Clique em "Run" para rodar como arquivo temporário ou "Browse" para salvar o produto.
 
Figura 2. Configuração para visualizar em 3D com Qgis2threejs.
Caso clique em "Run", uma nova aba (ou seu navegador de internet) se abrirá com seu terreno em 3D. Eis o resultado, como exemplo a cidade do Rio de Janeiro (Figura 3). Utilize o mouse (botão esquerdo, direito e o rolo central) para movimentar sua representação.

Figura 3. Visualização em 3D com Qgis2threejs.
Incrível! O QGIS é uma ferramenta FANTÁSTICA! O mesmo pode ser feito com o OSM e outras opções do Open Layers plugin. Poderá também representar pontos, linhas e polígonos, como mostra neste exemplo da Anita Graser, veja: http://goo.gl/kI8pWc 

Atenção: recomenda-se colocar o projeto em sistema projetado de coordenadas.
 
Sobre o Qgis2threejs

Este plugin faz uso da biblioteca de three.js. Exporta objetos 3D para qualquer navegador que suporta WebGL. Desenvolvido por Minoru Akagi e mantido através do site https://github.com/minorua/Qgis2threejs. Sua última versão estável é 0.7.1 (acessado em 08.09.2014).

Gostaram da dica. Breve mostrarei como fazer o 3D de edificações e árvores, assim como no exemplo da Anita Gaser.

Princípios básicos da animação digital

Uma animação se baseia em um princípio da visão humana. Se você visualizar uma série de imagens estáticas relacionadas em rápida sucessão, seu cérebro irá percebê-las como um movimento contínuo. No mundo da animação digital, cada imagem é chamada de frame.

Historicamente falando, a principal dificuldade na criação de animações era o fato de que o animador devia produzir uma grande quantidade de frames. Para se ter uma ideia, dependendo da qualidade, um minuto de animação pode ter entre 720 e 1800 imagens separadas. Por outro lado, a maioria das frames em uma animação são mudanças incrementais de rotina feitas com base na frame anterior de um objeto pré-definido.

Os estúdios de animação rapidamente perceberam essa realidade, sendo possível aumentar a produtividade dos seus principais artistas, fazendo-os desenhar somente as estruturas importantes de um trabalho. Estas estruturas são conhecidas como keyframes – ou quadros-chave, em português.  Depois desta etapa, os assistentes poderiam descobrir e trabalhar nas frames que eram necessárias entre as keyframes. Essas frames ficaram (e ainda são) conhecidas como tweens. Este é um dos princípios básicos da animação.

Um dos softwares usados para trabalhar com animação digital é o 3ds Max, da Autodesk. Ele pode ser usado como o assistente de animação. Já como o artista principal, ele também pode ser usado para criar as keyframes que gravem o início e o final de cada mudança feita no projeto.

O programa pode ser usado ainda para animação de transformações (como posição, rotação e escala) em diferentes parâmetros desejados, como ângulo ou curva, cor ou transparência de um objeto e muito mais.

A maneira mais rápida de animar é ativar a função Auto Key e começar a transformação de objetos em diferentes frames. Ao modificar um objeto, uma nova  frame será definida. Depois disso, é possível reproduzir a animação na tela ou renderizá-la para um arquivo.

Ferramentas gerais de animação no 3ds Max.
--

* Postagem publicitária

Apostila "Geoestatística básica e aplicada"

Hoje disponibilizarei uma apostila sobre geoestatística. O autor é o Professor Dr. Ednaldo Carvalho Guimarães do Núcleo de Estudos Estatísticos e Biométrico da Faculdade de Matemática, Universidade Federal de Uberlândia. Este ebook é de 2004 e vale a leitura. O título da obra é "Geoestatística básica e aplicada".


Neste ebook serão abordados aspectos básicos da metodologia geoestatística para a análise espacial  de  dados, com ênfase  na análise do semivariograma como ferramenta de determinação da dependência espacial. 
"Inicialmente  serão  abordados  aspectos  básicos  de  uma análise exploratória  de dados;  em  seguida  serão introduzidos  conceitos  básicos  da  geoestatística  e  da análise  da dependência  espacial  por  meio  de  semivariograma  e  também  de  interpolação  utilizando  a metodologia da krigagem e, por fim serão abordados conceitos básicos de semivariogramas cruzados e co-krigagem.  Sempre que possível  os tópicos serão acompanhados de exemplos de aplicação". (Prof Ednaldo Carvalho Guimarães)
Abaixo o sumário da apostila:

1. INTRODUÇÃO
2.  ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS
     2.1.  Distribuição  de  freqüências  e  histograma
     2.2.  As  estatísticas
     2.3.  Outras  análises  descritivas
     2.4. Amostragem
     2.5. Exemplos de análise exploratória aplicando o programa GS+
3. PRINCÍPIOS DA ANÁLISE GEOESTATÍSTICA
     3.1.  Um breve  histórico
     3.2.  Estacionaridade
     3.3.  Krigagem universal
4.  ANÁLISE DA DEPENDÊNCIA ESPACIAL
     4.1.  Autocorrelação  e  Autocorrelograma
     4.2.  Semivariograma
     4.3. O uso do software GS+ na determinação do semivariograma
     4.4.  Exemplos  de  aplicação
5.  KRIGAGEM
     5.1.  O interpolador
     5.2.  A krigagem no  programa  GS+
6. SEMIVARIOGRAMA CRUZADO E COKRIGAGEM
     6.1.  Semivariograma  cruzado
     6.2.  Co-krigagem
     6.3.  Variância  da  estimativa
     6.4.  Número de vizinhos  das  estimativas
    6.5. O uso do programa GS+ na determinação do semivariograma cruzado, da co-krigagem e no mapeamento da variável
     6.6.  Exemplos  de aplicação no GS+
7. VALIDAÇÃO DE MODELOS DE SEMIVARIOGRAMAS
8.  BIBLIOGRAFIA RECOMENDADADA

Capa do apostila Geoestatística básica e aplicada
Encontrei o livro na biblioteca do "ebah" e, por isso, decidi colocá-lo em meu servidor em nuvem. Segue para download neste link, clique aqui.

Gostou? Deixe seu comentário...

E-Foto: software livre para fotogrametria digital

Fazendo buscas sobre material de fotogrametria, encontrei o site do projeto E-Foto, da Faculdade de Engenharia da UERJ. Este projeto é coordenado pelo Professor Jorge Luís N. S. Brito, que atualmente é professor da Instituição. Abaixo o texto extraído da página deste projeto:

Logo do projeto E-Foto

O software, desde a versão lançada em 23 de Maio de 2012, dispõe de funcionalidades fotogramétricas que possibilitam o desenvolvimento de trabalhos e projetosprofissionais de elaboração de mapeamento topográfico 3D a partir de imagens aerofotogramétricas, tanto a partir de imagens obtidas por câmaras de filme, quanto por sensores digitais aerotransportados.
"Trata-se de uma iniciativa acadêmica de desenvolvimento de software livre para Fotogrametria Digital. O projeto E-Foto desenvolve-se no Laboratório de Fotogrametria da Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, desde 2004."
O Projeto E-Foto viabiliza aos interessados em Fotogrametria, em particular aos estudantes dessa disciplina, o conhecimento dos princípios intrínsecos à Fotogrametria através do acesso à uma Estação Fotogramétrica Digital, quebrando as barreiras de custo inevitavelmente associadas a essa empreitada.

Objetivo do Projeto E-Foto

O objetivo do projeto E-Foto é disponibilizar uma solução de software para implementação de uma estação fotogramétrica digital educacional em ambiente de software livre (e-foto). 

A idéia básica é que o e-foto, possa ser executado tanto em ambiente Linux, quanto em MacOS ou Windows, com um mínimo de requisitos de hardware, com o grande diferencial de poder ser executado em máquinas de arquitetura simples (não necessariamente os computadores de última geração) e de permitir a visão tridimensional ou estereoscópica através de um par de óculos em anaglifo, facilmente adquirível pela internet.

>> Acesse a página do projeto E-Foto: http://www.efoto.eng.uerj.br/ <<

Os seguintes conteúdos estão disponíveis na página:

1. As sucessivas versões do software E-Foto, para download. Em se tratando de um software livre, encontram-se disponíveis tanto os módulos executáveis (Linux, MacOS e Windows), quanto o código-fonte;
3. As estatísticas de acesso ao site, dando um panorama da comunidade visitante;
4. Os tutoriais do software e-foto, nas versões pdf e vídeo;
5. O livro "Fotogrametria Digital", em formato pdf, também disponível para “download”;
6. Os artigos técnico-científicos e Trabalhos Acadêmicos relacionados ao Projeto, como dissertações e monografias.
7. Canal de comunicação para comentários, críticas ou sugestões através do fórum.

Abaixo o vídeo de lançamento do projeto E-foto.

 Vídeo de lançamento do projeto E-Foto

Parabéns a equipe do Professor Jorge Luís N.S. Brito. Bela iniciativa!



Simulador referencial de preços de serviços de agrimensura

Participo de alguns grupos em rede sociais e percebo que muitos profissionais, do ramo da topografia e agrimensura, principalmente, discutem valor a ser cobrado por determinados serviços, custo de hora/trabalho, etc... e com certa razão, visto a gama de variáveis em nosso vasto território.


É uma discussão polêmica e não pretendo entrar neste mérito de quanto deve ser cobrado. Para ajudar aos profissionais desta área, a Revista Amiranet publicou em site o Simulador referencial de preços de serviços de agrimensura (clique aqui), que nada mais é que uma tabela de preço discriminada por serviços.


Esta tabela tem como parâmetro o estado de São Paulo e foi:
"Preparada pela AETESP (Associação das Empresas de Topografia do Estado de São Paulo) e APEAESP (Associação dos Profissionais de Engenharia Agrimensura do Estado de São Paulo), de acordo com a NBR 13.133/94 Execução de Levantamentos Topográficos e registrada na Câmara de Engenharia de agrimensura do CREA - SP" (Revista Amiranet)
A NBR 13.133/94 é a norma que trata sobre a "Execução de Levantamentos Topográficos". O texto está disponível nesta biblioteca online, do Centro Universitário São Carlos (clique aqui)


Considero o simulador referencial de preços de serviços de agrimensura uma boa fonte de consulta para tomar como base, adaptando para realidade de capa profissional.

Gostou desta publicação? Comente e deixe sua contribuição.

Participe do censo de usuários de QGIS no Brasil

Onde e como está sendo usado o QGIS Brasil?

A comunidade de usuários do QGIS Brasil acaba de completar 4 anos de existência e já conta com mais de 1000 usuários em um grupo de discussão. Além do grupo de discussão existe o do blog da comunidade QGIS Brasil com um grande acervo de material sobre o QGIS, e as comunidades no Google+ e Facebook com usuários ativos que estão sempre tirando dúvidas e postando tutoriais sobre o QGIS.

Foto extraída do blog QGIS Brasil
Censo de usuários QGIS Brasil: 

O Censo QGIS Brasil tem como objetivo saber quem são os usuários do QGIS no Brasil. Os dados obtidos servirão de base para um mapeamento da rede nacional de usuários QGIS. Esse mapeamento visa atender melhor as demandas da comunidade e o planejamento de futuros eventos nacionais e/ou regionais do QGIS.

Os dados coletados* serão disponibilizados periodicamente à comunidade. Esses dados poderão ser utilizados para subsidiar pesquisas e publicações sobre o uso do software no Brasil.
* Dados pessoais, como nome e e-mail, não serão disponibilizados mantendo a privacidade dos usuários cadastrados.
Para participar do censo de usuários do QGIS Brasil é muito simples. Clique no botão a baixo e preencha as informações solicitadas no formulário de contato.


O procedimento completo dura menos de 5 minutos. Não perca tempo e contribua na construção do mapa dos usuários QGIS no Brasil.   

Aproveite e colabore com o QGIS

Você pode colaborar com o QGIS de diversas formas, confira todas as formas de colaborar com o QGIS. Atualmente estamos organizando um mutirão para a tradução de todo material oficial do QGIS 2.4 para português do Brasil.

Você pode colaborar na tradução (inglês – português), na revisão do material já traduzido ou do material que foi aproveitado da tradução realizada por nossos colegas de Portugal. Ou seja, não é preciso dominar o inglês para deixar sua contribuição no processo de tradução do QGIS. Veja como participar do mutirão de tradução do QGIS para português.

Fonte:
Texto extraído do Blog QGIS Brasil: http://qgisbrasil.wordpress.com/